quinta-feira, 22 de novembro de 2018

"Tenho medo que a polícia mate minha família", diz viúva de Neguinho Boiadeiro

A matriarca da Família Boiadeiro, Mércia Boiadeiro, teve a casa invadida durante operação de busca e apreensão no último domingo, 18, na cidade de Batalha, no Agreste alagoano.

Em entrevista realizada nesta quarta-feira, 21, no escritório da advogada da família no bairro do Farol, em Maceió, Mércia, que é mãe de José Márcio Cavalcante, conhecido como Baixinho Boiadeiro, foragido da Justiça desde novembro de 2017, relatou como ocorreu a operação que julgou ser desproporcional.

Mércia e Bahia Boiadeiro, viúva e filha de Neguinho Boiadeiro, lutam para provar a inocência de Baixinho -
 Foto: Bruno Fernandes


"Eles chegaram na minha casa por volta das 4h45 da manhã do domingo, invadiram e começaram a revirar tudo. Perguntei quem estaria no comando da operação e afirmaram não poder contar. Acredito que se eu não estivesse dormindo com meus netos, eles teriam me matado ali mesmo", relatou ao EXTRA.

Mércia afirmou ainda querer apenas que a justiça seja feita, além de não temer nenhuma investigação. "Qualquer um pode investigar e ir na minha casa ou na fazenda da família. Somos inocentes, eles querem nos incriminar", enfatizou.

Segundo a advogada da família, Mabylla Loriato, a busca da Polícia seria por suspeita de que Baixinho Boiadeiro estaria envolvido com roubo de cargas.


"Não passa de uma mentira visto que isso foi solicitado pelo delegado Fabrício Lima pouco tempo depois do laudo comprovar que arma que matou o vereador Tony Pretinho em novembro de 2017 não pertence a Baixinho", disse.

Leia mais

Laudo pode inocentar Baixinho Boiadeiro 

Fabrício Lima faz parte da comissão que investiga o assassinato do vereador, que é presidida pelo delegado Cícero Lima.

Ainda de acordo com a advogada, a família teme que sejam vítimas de uma cena forjada de reação durante operação e sejam mortos. Algo que, conforme eles, teria acontecido com Emanuel Messias de Melo Araújo, o Emanuel Boiadeiro, em 2016.

Emanuel Boiadeiro foi morto durante uma operação que tinha como objetivo prender uma suposta quadrilha de roubo a banco, realizada no dia 1° de outubro, de 2016, em Belo Monte. A acusação de roubo a banco nunca foi comprovada.

"Temos medo de eles invadirem nossa casa, matarem qualquer um da nossa família e depois dizer que morremos porque reagimos a alguma coisa. Eles querem pegar o Baixinho dentro de casa e matar ele", disse Bahia Boiadeiro, irmã do foragido.

Morte de Neguinho Boiadeiro

Questionada sobre a entrevista coletiva realizada na terça-feira, 20, pelo vereador por Batalha Alex Sandro Rocha Pinto e o sobrinho Rafael Pinto, ambos acusados de serem os participantes do crime da morte de Neguinho Boiadeiro, a família preferiu não se pronunciar.

O parlamentar disse que a Polícia Civil teve "pressa em acabar com as investigações" e que foi um equívoco colocá-lo no inquérito. Sandro e Rafael foram acusados de envolvimento na morte do ex-vereador, patriarca da Família Boiadeiro.

Na época, a Secretaria de Segurança Pública (SSP-AL) não confirmou qual a motivação do vereador Sandro Pinto no crime. Os dois foram liberados recentemente no último dia 9.

Confira na galeria abaixo fotos da casa revirada por agentes policiais





Fonte: novoextra

Nenhum comentário:

Postar um comentário